sábado, 4 de abril de 2009

Exercicios e As Dúvidas Universais Sobre a Vida.

Viver, morrer. É simples; como a vida se mostra tão complicada sendo tão simples. Tenho uma rotina, podemos dizer, rigorosa. Acordo às cinco e meia, vou pra escola, e volto, geralmente às seis. Daí me exercito e vou estudar. Saio no final de semana, me divirto, tenho sensações humanas banais, e, de vez em quando, me pergunto: 'pra quê toda essa merda?'. Vejo as pessoas na rua, exercitando o seu viver, e fico imaginando, que todos eles vão passar, e vão deixar de fazer seu mais importante e camuflado ofício: o de viver. É engraçado: eu estudei durante dezessete anos, e vou estudar durante mais uns dez, sendo otimista, e nem sei se vou ter o tempo de usurfluir do meu estudo daqui a alguns anos. É engraçado. A vida é um investimento de longo prazo e de alto risco.
As pessoas se veêm felizes com alguém, e quando estão com esse alguém, não pensam na enorme quantidade de caminhos diferentes qe poderiam estar tomando, caminhos mais progressores. E, quando não estão mais com o certo alguém, as pessoas se veêm com uma horrível sensação de que o tempo que ele gastou, foi todo em vão, e de que ele não vai voltar mais.
O que eu mais odeio, é que no mundo capitalista de hoje, as pessoas só podem se ver felizes com dinheiro, porque é o dinheiro que manipula a vontade humana, por mais banal que seja. Não se pode ir simplesmente morar numa floresta, e ter uma vida apenas de subsistência e prazer, com uma pessoa de que você goste do seu lado. O mundo hoje está lotado, e, infelizmente, certas vezes você não pode mais ser vítima apenas do seu desejo, e sim do desejo coletivo; de uma forma simples, seu desejo depende do desejo alheio, porque não se tem mais ESPAÇO (sim, precisa ser maiúsculo) para depender do seu próprio desejo. Ponho a culpa na superlotação do mundo e na merda do 'babyboom' pós segunda guerra. Pra se ter uma idéia de como a vida sacaneia, eu queria ter nascido a 100 anos atrás, no mínimo. Mas, a 100 anos eu não teria o pensamento sobre a vida que eu tenho hoje, e, consequentemente, não teria os desejos que eu tenho hoje.
A vida é complicada, muito. Me imagino, às vezes, com 90 anos, apenas esperando a morte, e vivendo apenas do passado.
Do que tudo isso realmente é feito? De átomos, segundo o pensamento humano. Mas isso é segundo o pensamento humano, eu quero saber no pensamento 'universal', o verdadeiro pensamento que não pode ser discutido em uma reunião do conselho dos diabos a quatro da química.
O conhecimento é uma coisa maldita. Quando você aprende alguma coisa, surgem dez novas perguntas sobre aquela coisa, e mais dez novas perguntas sobre outra coisa qualquer. É dificil explicar esse tipo de pensamento por escrita, de fato. Só com muita calma que eu poderia explicar bem detalhadamente. Mas, eu não tenho calma. Lol.
Vou viver pelo meu desejo. De amar, de ter, de dar. De beber com os amigos e esquecer de todos os problemas; de ir ao cinema sozinho de vez em quando; de me formar na merda do curso de arquitetura, e ser um bom arquiteto. De constituir uma família, com uns trinta anos, e de chegar aos oitenta olhando para trás e dizer que tudo valeu a pena. De chegar aos oitenta morando numa casa num lugar onde não haja muita gente (desejo isso mesmo sabendo que dificilmente irá acontecer). Vou viver pelo desejo de viver tudo certinho (não no sentido literal da palavra, o errado, certas vezes, parece convenientemente certo), e, quem sabe um dia, finalmente encontrar todos os segredos da vida. Mas, porém, não vou desejar todos esses desejos mais que tudo, porque eu não quero me frustrar. São desejos a longo prazo, e esse tipo de desejo é um investimento de alto risco. Eu vou viver, e ir atrás do que eu realmente for querer. Que se foda se eu vou morrer aos 20 ou aos 100. Vou sempre crer que o dia de amanhã virá (mentira).

PS.1: nesse último parágrafo fui muito otimista. Não gosto de ser otimista assim. Prefiro a parte da barrinha que está entre o realismo e o pessimismo. Não confunda com negativismo. Só não apaguei o último paragrafo porque eu o escrevi, e seria um ato de hipocrisia apagar.
PS.2: tô sem pc, praticamente. Esse aqui que eu to usando é alugado, e tá com defeito. Pra ligar é um saco. Raramente ele liga. Vou demorar mais a postar.
PS.3: nem sei porque tô fazendo esses PS's, de uma certa forma eles devem ser pra mim.

2 comentários:

Lina :) disse...

Eu não vou tanto de um extremo a outro. Acredito que se de um jeito não deu certo, não foi em vão. Porque eu aprendi algo com isso, pelo menos.
Sei como é tentar explicar um pensamento por palavras. Às vezes acho que ninguém vai me entender ou vou ser mal compreendida. :/

Boa sorte com o pc.

Beijos :*

MamotromicO disse...

"Vou viver pelo meu desejo."

Boa sorte aí então. Eu já desisti.