terça-feira, 14 de julho de 2009

A madrugada inspira. Ou não.

4 am. Tá tarde pra caramba. Acabei de comer um sanduíche de queijo que eu acho que tava estragado com vitamina de mamão e estava pensando no que escrever. Acabei chegando a nenhuma conclusão. Daí eu pensei: 'Hm, estamos numa madrugada. Eu posso escrever qualquer coisa que eu vou escrever de uma forma legal. Então, vou pensar no que escrever escrevendo'. É, não funciona bem assim não.
Sabe o que eu notei ultimamente? Na inutilidade do orkut. Puta merda, como essa rede ridicula é idiota. Como têm pessoas idiotas nela, com as frasezinhas no 'quem sou eu' de poetas e pensadores; com o fingimento de 'sou culto porque eu leio e escrevo, fingo que gosto de poesia e estou em comunidades legais'. É simplesmente ridiculo. E eu estou no orkut.
Eu tenho que escrever. Não sei o que, mas tenho. Eu comecei a escrever uma história antes de ontem, mas perdi a folha onde escrevi. Posso dizer que foi um dos melhores começos de história que já fiz. O protagonista se chamava Pablo e gostava de colocar as pessoas que ele via aleatoriamente na rua em 'layouts sociais'. Isso é um termo que eu pensei ser o melhor pra definir o que eu quero expressar, ele com certeza já deve existir mas enfim, eu não o vi em lugar nenhum. Na verdade é um termo óbvio. Depois dou meu ponto de vista sobre esse termo.
Enfim, voltando a história, o nome do protagonista era Pablo... Layouts sociais... Pois é, e eu estava planejando uma reviravolta na vida de Pablo. Iria (vai) acontecer alguma coisa que mudaria (vai mudar) a vida dele para sempre, e durante a história, eu iria (vou) narrar crises existenciais, pontos de vista sobre o 'ser' do ser-humano. Enfim, vou colocar também aventuras que eu jamais sonhei (e sonho) passar. Eu não sei muito bem no que a história vai se centrar, mas estou pretendendo ler Jung e Schopenhauer antes de começar a filosofar. Até porque eu tenho bastante tempo.
Ainda bem que os sentimentos com relação a uma pessoa qualquer ficam serenos no decorrer do tempo. Quando você fica sem ver uma pessoa de quem você gosta, você fica um tempo a mais sem pensar nela (Esse é o caso em que o sentimento não é recíproco, pois se fosse, a saudade iria aumentar, ocasionando mais tempo pensando na respectiva pessoa). É claro que bate uma curiosidade, de querer saber como a pessoa está e etc; é claro que bate uma vontade de mandar mensagens ou ligar (principalmente a essa hora da madrugada); é claro que dá vontade de ir pegar a moto do pai escondido lá no quinto dos infernos e ir na casa dela quando o primeiro raio de sol estiver no horizonte... Mas, é uma vontade facilmente vencida.
Meu lado poético não está mais se aflorando. Eu me arrependo, neste exato momento, amargamente, de ter jogado todos os meus escritos fora a um tempo atrás. De vez em quando me vem uma vontade de escrever, mas eu estou com preguiça de ligar o pc, ou estou sem o pc. Acho que vou comprar um caderno para escrever à mão. É muito mais interessante.
E sabe, a super-lotação do mundo me deprime nessa hora da madrugada. É irônico, na madrugada não tem quase ninguém na rua, tudo é vazio, e é justamente nessa hora em que eu me preocupo com a super-lotação do mundo. E acabei de decidir uma coisa: vou estipular coisas pra eu falar sobre. De preferência os sentimentos humanos. Vou sentar aqui na frente do teclado e pensar: 'hoje vou escrever sobre merdinha tal', e pronto, eu vou e escrevo. Esses posts aleatórios nos quais eu falo de várias coisas nada a ver estão me tirando do sério. Eles só servem pra quando eu tô em algum lugar diferente, ou aqui em casa mesmo, mas com pensamentos diferentes. Enfim, boa noite.
AH! E eu estou pensando em dar uma 'cara nova' pra esse meu blog entregue as traças. Sei lá, vou deixá-lo com mais aparência de blog. Vou colocar imagens e postar periodicamente sobre assuntos que todos possam entender. Não, pensando bem, não... Ou sim? Ah, morra.

3 comentários:

carolina. disse...

compra um moleskine.

MamotromicO disse...

Normalmente eu sento na frente do PC e penso: "vou escrever sobre isso". Só que eu não impeço que outros temas se metam no meio. Por isso meus posts mais focados ainda são randoms 8D

Lu Paes disse...

Oi, Iago!
Eu adoro seus textos. Sabia?
É incrível!
Acho que é porque, ao contrário da maior parte dos blogs (meu incluído) o seu não usa personagens e frases soltas, você realmente escreve. Sobre você. Não é como se a gente tivesse que ler só as entrelinhas (pois sempre é preciso ler as entrelinhas), voc~e se expõem, sem medo, sem frescura. Admiro muito isso...
E você sempre tão apaixonado...
Eu tenho um amigo assim: que morre de amor. mas ele nunca faz nada de especial para reconsquistar ela (ex-namorada hehe). E ele perdeu ela assim, por inércia. Sou a favor de pequenos grandes atos. Meu sonho ( e eu vou realizá-lo) é dançar no coreto da praça. Eu vou valsar naquele coreto. Não morro sem fazer isso! heheheh
Bom, eu mudei muito de assunto aí no meio, mas só queria dizer que te admiro. E ter um caderno para rascunhos é perfeito, eu tenho. Na verdade, estou no segundo caderno...E, enfim, ou faça algo para tirar ela do chão ou desista dela. Eu sei que você a ama, e por isso tem que usar essa energia (que vc usa para se lamentar) para convencê-la de seu amor. Eu sei, é clichê. Mas fazer o que?
Cara, eu sou xereta. Pode me matar depois dessa, ok?

Ah, e Crepúsculo é ruim.
E nem todas as garotas são avoadas e inúteis. Quer dizer, qual a graça de amar um vampiro perfeito? E se fazer de coitadinha? Por favor! É deprimente.
Sim, eu sou diferente. E me esforço muito para isso!
hahaha

beijos da INSUPORTÁVEL Lu.
^^