sábado, 24 de janeiro de 2009

O Medo e o Tédio.

Sabe, é tão fácil, más tão difícil se apaixonar. Dificil (pelo menos no meu caso) porquê eu demoro a encontrar a pessoa certa, aquela pessoa especial, que me surpreenda. Fácil porque, enfim, quando você encontra essa pessoa, se apaixonar é só mais uma etapa, uma pequena etapa como um passo de uma formiga.
As férias tão perto de acabar, e aquele medo do vestibular, do 3º ano que antes habitava em mim, não se manifesta mais. Sumiu, desapareceu. Mais mesmo assim continuo com medo de perder os amigos que tenho, depois do vestibular. Sei que isso não vai acontecer, e então o medo nem é de perder os amigos. Deve ser de alguma outra coisa, deve ser algum outro sentimento. Arrependimento talvez. Arrependimento de não ter encontrado aqueles amigos que eu fosse levar pra vida toda antes, na minha infância. Mas, a culpa não foi minha, entao não pode ser um sentimento de arrependimento.
Que sentimento, então? Você já sentiu uma coisa que não consegue descrever? Uma espécie de melancolia; de medo, do futuro quem sabe. Você já sentiu uma coisa que você não consegue associar a nada, e por isso fica com medo? Não sei que sentimento estou sentindo neste exato momento.
Ah! Como não pensei nisso antes. É o tédio, o velho e companheiro tédio. Quando não se tem o que pensar, se pensa em merda. Quando você está sem nada o que fazer, sem se ocupar com muita coisa, você se sente mal. Sente que está perdendo algo. Tempo? Quem sabe? Será que eu sinto que estou perdendo tempo, e por isso estou mal? Porque as férias vão acabar e eu vou entrar no inferno onde o diabo vai ser o vestibular e seus carrascos os professores? Não sei, eu não sei de nada. Como diz minha mãe certas vezes, a única certeza da vida, é a morte. A única coisa que a gente sabe que vai acontecer. Lol. Mas, nós só sabemos que vamos morrer porque estamos vivos não é? Não é óbvio? Esquece...
Ou, deve ser aquela velha sensação de que eu não vou poder voltar ao passado, de que o que passou, passou, e a única saída agora é olhar para frente. Para o futuro. Mas, e quando eu ficar velhinho? Pra onde vou olhar? Eu vou olhar para uma porta, e lá vai ter um cara com uma foice e um capuz preto, me esperando? É. E sabe o que é pior? Eu não vou precisar estar velho pra ver esse carrasco, pois o caminho entre mim e a porta é desconhecido. Eu posso dar um passo e chegar nela. A única diferença, é que quando novo, como agora, eu tenho um outro caminho diluído com o caminho da porta: o futuro. Mas é uma mera ilusão, pois depois de uns anos, quando eu ver mais nitidamente, essa diluição que eu estou vendo acontecer agora, vai diluir de vez, mostrando para onde realmente eu estou me encaminhando.
A saida, então, para eu não me sentir com a sensação que eu estou me sentindo, é não olhar para um futuro muito distante. Mas, quando se está entediado, para onde você olha?

:x

2 comentários:

Pretty, Bruna disse...

Oi! Vi teu comentário no blog da Lina e vim aki! Cara, faço minhas tuas palavras! É exatamente assim q me sinto! Um baita medo do desconhecido. De trabalhar, de ter q passar o ano todo estudando pra enem e vestibular, de perder meus amigos...Um vazio enorme qdo eles saem e eu não vou. =/ Dá uma desolação, um medo, uma tristeza. Deprê absoluta.
Tbm tenho medo de envelhecer, de morrer...Porq tenho medo do q me espera do outro lado da vida, ou então ficar como nakele filme, "a noiva cadáver". E vem a idéia brilhante de morrer jovem. Suicídio, "Lady Di tentou 5 vezes, porq eu não?" Mas daí vem o medo de se matar. Na verdade, tudo oq todo ser humano, especialmente esses entediados e amendrontados q nem nós, enfim, oq esperamos é uma mão amiga q nos puxe pra um porto seguro. E a gente não sabe se tem amigos por perto. Medo do futuro, do desconhecido. Se jogar com a cara e a coragem no mundo. Só resta isso. Bjo.

Lina :) disse...

Relaxa, Random.
Passei por exatamente o mesmo sentimento incógnita pré-terceiro colegial/vestibular.
O úncio conselho que eu posso te dar é: não entre nas neuras.
Curta - muito - seus amigos agora. Muito provavelmente cada um vai pra um canto no fim do ano.
E estude. Mesmo que não queira prestar vestibular tão cedo.
No fim do ano você vai poder ficar relaxado e calmo, porque estudou e não deve nota.
E vá na formatura.
Nunca deixe ninguém te dizer que você não é capaz.
E você é bem novo ainda. Não precisa pressa pra decidir o que fazer.
Quando você descobrir, você pega o bonde e vai em frente.
E boa sorte. Porque o terceiro, colega, não é pouca coisa não.
E sobre morrer?
Pra mim a vida é eterna. A "morte" é só uma etapa dela.
Curta. o/

Olha a Bruh aí!